Os nove diferenciais de uma pessoa de sucesso

4 de abril de 2017
Coaching&Carreiras

Por que você foi tão bem-sucedido em atingir algumas metas, mas não em outras? Se você estiver em dúvida, não se preocupe, você não é o único confuso. Verifica-se que mesmo pessoas brilhantes, extremamente talentosas, não conseguem explicar como obtiveram tanto sucesso ou fracassaram. A resposta intuitiva — que você nasceu com alguns talentos e não com outros — é, na verdade, somente uma pequena peça do quebra-cabeça. Décadas de pesquisa sobre conquistas profissionais sugerem que as pessoas bem-sucedidas atingem suas metas, não apenas por ser quem são, mas muitas vezes, pelo que fazem.

1. Seja específico.
Quando você se propõe a atingir uma meta, tente ser o mais específico possível. “Perder dois quilos” é uma meta melhor que “perder peso”, porque ela lhe dá uma ideia clara do que é o sucesso. Saber exatamente o que você quer atingir o mantém motivado até chegar à meta. Pense também nas ações específicas que precisam ser tomadas para atingir a meta. Apenas prometer que você vai “comer menos” ou “dormir mais”, é muito vago — seja claro e preciso. “Quero estar na cama às dez da noite nos finais de semana” não deixa espaço para dúvida sobre o que você precisa fazer, e se você realmente fez, ou não.

2. Agarre o momento para intervir nas metas.
Tendo em vista como a maioria de nós é ocupada, e como nos comprometemos com várias metas de uma vez, não é de surpreender que, com frequência, deixemos passar oportunidades de intervir numa meta simplesmente porque não conseguimos percebê-las. Você realmente não tem tempo para ir à academia hoje? Não há nenhuma chance de responder àquele telefonema? Atingir sua meta significa agarrar essas oportunidades antes que escoem pelos dedos.

Para aproveitar o momento certo, decida antecipadamente, quando e onde você deve fazer a intervenção que deseja. Mais uma vez, seja o mais específico possível (por exemplo, “se for segunda, quarta ou sexta-feira, vou malhar durante 30 minutos antes do trabalho”). Estudos mostram que esse tipo de planejamento ajudará seu cérebro a detectar e aproveitar a oportunidade quando ela surgir, aumentando suas chances de sucesso em aproximadamente 300%.

3. Saiba exatamente quanto ainda falta.
Para atingir qualquer meta também é preciso monitorar seu progresso honesta e regularmente — se não forem outros, então que seja você mesmo. Se você não tiver um parâmetro para avaliar seu progresso, não poderá ajustar seu comportamento ou suas estratégias adequadamente. Verifique seu progresso frequentemente — semanal, ou até diariamente, dependendo do objetivo.

4. Seja um otimista realista.
Quando estiver estabelecendo uma meta, procure pensar o mais positivamente possível sobre as probabilidades de concretizá-la. Acreditar na sua capacidade de ser bem-sucedido é extremamente importante para criar e manter sua motivação. Mas o que quer que você faça, não subestime as dificuldades que terá de vencer para atingir sua meta. A maioria dos objetivos que vale a pena atingir requer tempo, planejamento, esforço e persistência. Estudos mostram que pensar que as coisas caem do céu e sem esforço não o prepara para a jornada futura, e aumenta significativamente as probabilidades de fracasso.

5. Foque em se tornar melhor, em vez de ser apenas bom.
É importante acreditar que você tem capacidade de atingir seus objetivos, mas também é importante acreditar que você pode adquirir a competência necessária. Muitos de nós acreditamos que nossa inteligência, personalidade e aptidões físicas são imutáveis — que não importa o que façamos, não vamos conseguir melhorá-las. Como consequência, focamos em metas que só servem para nos provarmos, e não para desenvolver e adquirir novas habilidades.

Felizmente, décadas de pesquisas sugerem que acreditar em habilidades imutáveis é uma ideia completamente errada — todos os tipos de habilidades são profundamente maleáveis. Abraçar a ideia de que você pode mudar lhe permitirá fazer escolhas melhores e desenvolver todo o seu potencial. As pessoas cujas metas são tornar-se melhor, em vez de serem apenas boas, não se preocupam com as dificuldades e aproveitam a viagem tanto quanto o destino.

6. Tenha garra.
Garra é um desejo de se comprometer com metas de longo prazo e de persistir diante da adversidade. Estudos revelam que pessoas com garra — ou seja, com determinação e coragem — atingem um nível de instrução mais elevado e são melhores alunos na universidade. A garra prevê como os cadetes conseguirão se destacar no primeiro ano de exigências da Academia de West Point. Na verdade, a garra até prevê a que rodada chegarão os competidores do Concurso Nacional de Soletração Scripps.

A boa notícia, é que se você não for suficientemente corajoso e determinado agora, ainda é possível fazer alguma coisa. Pessoas sem garra, com mais frequência do que se imagina, acreditam que elas simplesmente não têm as mesmas capacidades inatas que têm as pessoas bem-sucedidas. Se é assim que você pensa… bem, não há outro jeito de dizer isso de forma agradável: você está errado. Como mencionei anteriormente, esforço, planejamento, persistência e boas estratégias são o que realmente leva ao sucesso. Abraçar essa ideia não só o ajuda a ver a si mesmo e suas metas de forma mais clara, mas também faz maravilhas por sua garra.

7. Fortaleça o músculo da força de vontade.
Seu “músculo” do autocontrole funciona como qualquer outro músculo do corpo — quando não é muito solicitado, enfraquece. Mas quando você treina regularmente, e o utiliza corretamente, ele se torna cada vez mais forte e mais capaz de ajudá-lo a atingir suas metas.

Para fortalecer a força de vontade, assuma um desafio que exija que você faça alguma coisa que, sinceramente, preferiria não fazer. Dê adeus aos salgadinhos de alto teor calórico, faça 100 abdominais por dia, endireite-se quando se apanhar relaxando, tente aprender uma nova habilidade. Quando você sentir vontade de desistir, de se entregar ou simplesmente “deixar pra lá” — reaja. Comece apenas com uma atividade, e planeje como deverá lidar com os problemas quando eles surgirem (“se eu estiver com vontade de comer um salgadinho, vou comer apenas uma fruta fresca ou três frutas secas”). No começo, pode ser difícil, mas depois será mais fácil. E esse é exatamente o ponto. À medida que sua força de vontade aumenta você pode assumir mais desafios e intensificar o treinamento do autocontrole.

8. Não provoque o destino.
Não importa quanto seu músculo da força de vontade se fortaleça, é importante sempre respeitar o fato de que ele é limitado, e se você exigir demais dele poderá perder o fôlego temporariamente. Se puder evitar, não tente assumir duas tarefas desafiadoras de uma só vez, (como deixar de fumar e fazer regime ao mesmo tempo). E não abuse da sorte — muitas pessoas confiam demais na sua capacidade de resistir à tentação e, por isso, muitas vezes, se colocam em situações em que as tentações são abundantes. Pessoas bem-sucedidas sabem como não tornar a façanha de atingir uma meta mais difícil do que já é.

9. Foque no que você deve fazer, e não no que não deve fazer.
Você quer perder peso, parar de fumar ou refrear seu mau temperamento com sucesso? Então planeje como pretende substituir maus hábitos por bons, em vez de focar somente nos maus hábitos. Pesquisas sobre a supressão de pensamentos (por exemplo, “não pense em ursos brancos!”) revelam que tentar evitar certos pensamentos torna-os ainda mais vivos em sua mente. O mesmo vale quando se trata de comportamento — ao tentar não desenvolver maus hábitos, os maus hábitos são fortalecidos, e não eliminados.

Se você quer mudar seus hábitos, pergunte-se: “então o que devo fazer?” Por exemplo, se você está tentando controlar seu mau temperamento e evitar perder as estribeiras, você deve pensar em alguma coisa do tipo: “quando começo a me sentir irritado, respiro fundo, três vezes, para me acalmar”. Ao usar a respiração profunda como um substituto para dar vazão a sua raiva, seu mau hábito se desgastará aos poucos, até desaparecer completamente.

Espero que depois de ler as nove condutas que diferenciam as pessoas de sucesso, você tenha obtido algum insight sobre tudo o que você tem feito certo. Mas o mais importante é que eu espero que você consiga identificar os erros que o fizeram sair dos trilhos e que, a partir de agora, você use esse conhecimento em seu próprio benefício. Lembre-se de que você não precisa se tornar uma pessoa diferente para ser uma pessoa de sucesso. O que importa não é o que você é, mas o que você faz.

Heidi Grant é Ph.D e cientista sênior do Instituto de Neuroliderança, e diretora associada do Centro de Ciência da Motivação da Columbia University. Ela é autora de bestsellers como Nine Things Successful People Do Differently. Seu último livro é No One Understands You and What to Do About It, que foi destaque na mídia nacional e internacional.

Fonte HBR

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>