Como trabalhadores remotos fazem amigos no trabalho
13 de dezembro de 2019
Coaching&Carreiras

As pesquisas demonstram que quando funcionários têm amigos no trabalho, apresentam melhor desempenho, dedicam-se mais e são mais felizes em seus empregos. Contudo, graças, em grande parte, à tecnologia, a maneira como nos relacionamos com nossos colegas de trabalho está mudando de duas maneiras relevantes.

Primeiro, é pouco provável que a gente more próximo dos colegas de trabalho. Isso significa que, muito provavelmente, não temos a oportunidade de compartilhar experiências informais pessoalmente (como, por exemplo, ir a happy hours, encontrar colegas na copinha) ou outros eventos promovidos pela organização (excursões/jantares organizados pela empresa). Segundo, cada vez mais, confiamos na tecnologia para nos comunicarmos com os colegas. A interação por meio de mídias como mensagens de texto, mensagens instantâneas, e pelo aplicativo FaceTime dificulta percebermos quem uma pessoa realmente é. Não temos como avaliar a linguagem corporal e outros sinais não linguísticos, da mesma maneira que podemos fazê-lo pessoalmente. Quando trabalhamos por meio da tecnologia, é mais provável que somente nos comunicaremos com nossos colegas virtuais quando tivermos motivo para tal, como, por exemplo, em um trabalho em equipe. Considerando essas diferenças fundamentais nas relações do trabalho virtual, como colegas remotos podem se tornar amigos?

Para investigar isso, realizamos um estudo no período de 18 meses na filial do centro-oeste de uma empresa global de tecnologia, a Cloudly (um pseudônimo). Realizamos 114 entrevistas com 64 pessoas (sendo que entrevistamos algumas das pessoas mais de três vezes). O trabalho destas pessoas era remoto pelo menos 50% do tempo, sendo que, para muitas delas, o trabalho realizado remotamente era de 75 a 100% do tempo. Além disso, passamos mais de 75 horas observando como os funcionários da Cloudly interagiam entre si quando se encontravam pessoalmente.

Vimos que trabalhadores remotos, em geral, consideravam a comunicação virtual como uma barreira para fazer amizade com os colegas. Para vencer essa barreira, tinham de estabelecer o que passamos a chamar cadência. Os trabalhadores remotos sentem que estabelecem uma cadência com um colega de trabalho quando entendem quem a pessoa é e conseguem prever como irão interagir com ela. A cadência é especialmente importante quando trabalhamos virtualmente porque nos ajuda a prever quando iremos interagir com nossos colegas virtuais e como serão essas interações, coisas muito mais fáceis de se fazer quando nos comunicamos face-a-face. Quando não estabelecemos essa cadência com nossos colegas de trabalho, podemos achar difícil ou frustrante entrar em contato ou interagir com eles.

Então, como exatamente, as pessoas que participaram do nosso estudo desenvolveram uma cadência que, no final, se tornou uma amizade? Primeiro, começaram com avaliações específicas de se e como poderiam desenvolver uma cadência relacionada ao trabalho:

  • Meu colega respondeu no período de tempo esperado?
  • Tem qualificações relevantes com as quais posso contar para fazer o meu trabalho?
  • Será que eu gosto de trabalhar e me comunicar com ele/ela?

Quando responderam “não” a qualquer uma das questões acima, notamos que as pessoas somente interagiam quando era necessário, por motivo de trabalho. Quando respondiam “sim”, vimos que as pessoas agiam de maneira a conseguir uma relação mais rica, fazendo coisas como acessar o colega no LinkedIn, para ver sua foto e experiência ou perguntar a outros que já interagiram com o colega para obter mais informações (por exemplo, como trabalham e suas preferências de comunicação).

Para algumas pessoas, a preparação estabelecida pela cadência relacionada ao trabalho progrediu para uma cadência relacionada à amizade. Contudo, assim como trabalhar próximo às pessoas no escritório não faz você se tornar amigo dessas pessoas, muitos participantes do estudo fizeram algumas avaliações relacionadas a amizade, como:

  • Houve um “clique”?
  • O colega tem tempo para amizade?
  • A amizade com um colega pode prejudicar meu trabalho de alguma forma?

Se funcionários da Cloudly sentissem que poderiam estabelecer uma cadência para uma amizade com o colega, assumiriam o risco de iniciar uma amizade. Fariam coisas como se conectar com os colegas por motivos que não fossem de trabalho – como ficar amigo no Facebook, buscar apoio após uma doença ou diagnóstico de alguma doença, ou conversando sobre planos para o fim de semana.

Dicas para desenvolver a cadência

Em última análise, se você quer fazer amizade quando trabalhar virtualmente, precisará ser proativo e correr riscos. Não recomendamos tentar analisar a “cadência” de maneira acadêmica, como fizemos; mas, você pode ajudar a promovê-la sendo um parceiro de trabalho confiável e respondendo na hora certa aos colegas de trabalho remotos; isso estabelecerá uma base.

Então, vá fundo quando pressentir potencial para amizade: entre em contato com o colega de trabalho para compartilhar com ele algo um pouco mais pessoal ou contar uma história engraçada. Na nossa experiência, pequenas ações como essas podem levar a uma rica amizade.

Se você for gestor, crie as condições para seus funcionários se conhecerem. Inicie as reuniões à distância com alguma coisa que ajude os membros da equipe a se conhecer. Por exemplo, um gestor que participou do estudo fez seus funcionários compartilharem com os colegas a “canção da semana” de que tinham gostado de ouvir na semana anterior; outro gestor pediu aos funcionários que fizessem apresentações “sobre si mesmos” durante uma teleconferência da equipe. Ao realizar uma reunião de equipe por conferência, inicie a chamada dez minutos antes e deixe a linha aberta por dez minutos após a reunião terminar, para que os membros da equipe possam conversar se quiserem.

Os gestores podem, ainda, criar oportunidades para os funcionários se encontrarem pessoalmente e tirar proveito total dessas oportunidades. Quando as pessoas viajarem para diferentes locais, incentive-as a se encontrar com as pessoas com quem trabalham. Os funcionários de uma das gestoras no estudo tinham de cumprir “horas de trabalho” no escritório sempre que viajavam a um escritório da empresa, uma prática que ela citou como sendo muito eficiente para construir relacionamentos. Crie uma oportunidade para construir relacionamentos no início de cada reunião presencial, porque rever as pessoas depois de um longo período de tempo pode ser um momento delicado. Inclua uma oportunidade informal ao final da reunião, quando as pessoas já venceram o constrangimento.

Embora criar cadência possa parecer que exige muito trabalho, isso é essencial, porque os funcionários virtuais são mais propensos a se sentirem isolados da organização e de seus colegas; a cadência os ajuda a promover relacionamentos que os fará se sentir mais conectados, como amizade de colegas. Em termos mais gerais, aprender como criar cadência pode ser também essencial para o bem-estar da sociedade, como mencionado recentemente pelo ministro da saúde anterior, Vivek Murthy, a natureza do trabalho em constante mudança é a causa da atual “epidemia de solidão”.


Beth Schinoff é professora assistente de gestão e organização da Carroll School of Management da Boston College.


Blake E. Ashforth é presidente da Horace Steele Arizona Heritage da W. P. Carey School of Business da Arizona State University.


Kevin Corley é presidente do Departamento de Gestão e Empreendedorismo da W. P. Carey School of Business da Arizona State University.

Fonte: HBR

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>